Saúde

Estratégias de intervenção para adesão ao tratamento

O assunto será um tema de um dos debates no 1º Juntos pela Hemofilia, organizado pela Federação Brasileira de Hemofilia

“A adesão é reconhecida como um problema de saúde pública mundial, particularmente importante no tratamento de doenças crônicas. A não-adesão ao tratamento afeta todos os níveis da população. O manejo de doenças crônicas requer adaptação psicológica e educação continuada tanto das pessoas, quanto das equipes tratadoras”, aponta a enfermeira da Unidade de Hemofilia do Hemocentro da Unicamp, Andrea de Almeida Sambo.

No caso da hemofilia o tratamento é ensinado pelas enfermeiras para as mães de crianças que convivem com a doença. Depois, as próprias crianças são treinadas, sempre com o objetivo de que o tratamento seja continuado. Além disso, é compromisso do paciente retirar o medicamento nos postos de saúde e aplica-lo na frequência adequada.

Conforme Andrea de Almeida, é possível encontrar diferentes descrições de intervenções para melhorar a adesão ao tratamento, porém a maioria delas parece falhar em seus objetivos. “Visualizar que o grau de não-adesão permaneceu inalterado nas últimas décadas, nos faz analisar o fato de que a maioria das intervenções associadas a melhorias na adesão, não estão associadas a melhorias em outros resultados”.

Nos últimos anos, o conceito de adesão tem ganhado uma certa popularidade, já que implica em uma interação mais mútua e dinâmica entre pacientes e profissionais da saúde. “Acreditamos que para aumentar a adesão, uma das principais e mais eficazes estratégias ainda seja o envolvimento ativo do paciente com os profissionais de saúde por meio de uma boa comunicação”.

O assunto Estratégias de intervenção para adesão ao tratamento será detalhado na apresentação de Andrea de Almeida Sambo, na Mesa 3, do evento, das 15h45 às 17h15.

 

1º JUNTOS PELA HEMOFILIA

O evento, que tem o apoio da Casa Hunter, terá apresentação de temas da atualidade:

·         Cenário da hemofilia e doenças raras no Brasil;

·         Evolução do tratamento da hemofilia e perspectivas futuras;

·         Introdução de novas terapias no SUS;

·         Pesquisa Clínica no Brasil;

·         Papel da Hemorrede no tratamento das coagulopatias;

·         Acesso ao diagnóstico e tratamento e,

·         Aspectos relacionados a convivência com a hemofilia e adesão ao tratamento.

 

As apresentações serão conduzidas por especialistas, estando presentes os membros das associações de pacientes filiadas a FBH, profissionais da saúde dos centros de tratamento de hemofilia, representantes do MS, CGSH, ANVISA, CONITEC, SCTIE, CONEP, ABHH, autoridades públicas, pacientes, familiares, entre outros.

 

Serviço – 1º JUNTOS PELA HEMOFILIA –

Realização: FBH – Federação Brasileira de Hemofilia

Dia 24 de junho – das 8h30 às 18h00

Local: WTC Eventos – Av. das Nações Unidas, 12551 – Brooklin Novo – São Paulo – SP

Inscrições pelo site: https://www.eventbrite.com.br/e/io-juntos-pela-hemofilia-da-federacao-brasileira-de-hemofilia-tickets-61989368871

 

FBH – Federação Brasileira de Hemofilia

Criada em 1976 para advogar pelo tratamento e qualidade de vida das pessoas com hemofilia, von Willebrand e outras coagulopatias hereditárias. É filiada a FMH – Federação Mundial de Hemofilia – e tem 25 associações estaduais filiadas de todo o Brasil.

http://www.hemofiliabrasil.org.br

Facebook: @hemofilia | Instagram: @federacaobrasileiradehemofilia

 

MAIS INFORMAÇÕES À IMPRENSA

RS Press

Marcia Britto – marciabrito@rspress.com.br

Danilo Gonçalves – danilogoncalves@rspress.com.br

(11) 3875-6296 | 99963-7025

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo