Saúde

Aumento da próstata pode causar pedras nos rins?

O aumento benigno da próstata, isto é, quando não está relacionado a câncer, pode resultar em vários níveis de comprometimento renal, chegando à formação de pedras nos rins e até mesmo à falência do órgão. De acordo com o médico Marcelo Levites, diretor da Sobramfa Educação Médica & Humanismo, a hiperplasia prostática benigna (HPB) afeta mais de 50% dos homens acima dos 60 anos de idade. Ao atingir 80 anos, essa taxa sobe para 80%. “A próstata é uma glândula do tamanho de uma noz e está localizada entre a base da bexiga e o pênis. Depois da puberdade, quando essa glândula dobra de tamanho, ela cresce lentamente durante toda a vida de um homem. Entretanto, é na terceira idade que seu crescimento pode acelerar e gerar vários problemas para os indivíduos mais velhos. Um deles é que, se ela ficar muito grande, pode pressionar a uretra e interferir no fluxo da urina. A uretra, que nada mais é que um tubo que transporta a urina da bexiga para o pênis, passa pelo meio da próstata. Por isso a estreita relação entre as duas, para o bem e para o mal”.

 

Segundo Levites, quando a uretra é pressionada pela próstata aumentada, o fluxo de urina é bastante comprometido. Como resultado, os sintomas mais comuns são aquela sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga ao urinar e a sensação de urgência para ir ao banheiro – principalmente durante a noite e quando a pessoa está prestes a chegar em casa. Menos comum, mas ainda possível, é a formação de cálculos renais.  Isto porque a HPB acaba impactando negativamente não só os hábitos urinários da pessoa, mas a ingestão de líquidos. “São muitos os pacientes que se queixam de levantar durante a noite para fazer xixi, dizendo que bebem o mínimo de água possível também durante o dia para evitar episódios desagradáveis no percurso para o trabalho, passeios, viagens etc. Em resumo, o aumento da próstata pode estar relacionado com uma mudança de comportamento que eleva as chances de infecção renal e no trato urinário, formação de cálculos e até mesmo desidratação”.

 

O médico chama atenção para alguns sintomas que são especialmente importantes de serem notados em homens com HPB. “Ainda que o aumento da próstata seja comprovadamente benigno, é fundamental que tanto o idoso quanto as pessoas mais próximas a ele estejam atentos se houver manifestações como dor no peito, fadiga, náuseas e inchaço repentino nos pés e pernas, acompanhado de uma redução drástica na micção. Em casos mais graves, que indicam comprometimento renal importante, pode haver ainda episódios de tontura, confusão mental e coma. Por isso é tão importante fazer o exame de próstata anualmente e buscar ajuda médica para que nem a qualidade de vida, nem propriamente a vida do indivíduo sejam comprometidas”.

 

 

HPB é tema de reunião científica na Sobramfa

 

No próximo dia 19, segunda-feira à noite, a hiperplasia prostática benigna (HPB) será tema de mais uma reunião científica na sede da Sobramfa, com apresentação de dois artigos do médico Marcelo Levites. “Essas reuniões acontecem semanalmente, em que apresentamos estudos e casos clínicos de temas relevantes na área da Saúde. São destinadas a médicos e estudantes de medicina, sendo que os interessados em participar das discussões podem entrar em contato antecipadamente pelo número (11) 3285-3126. Trata-se de mais um recurso fundamental de atualização médica nos dias de hoje. Na próxima segunda, vamos justamente discutir o impacto do aumento prostáticos benigno na formação de cálculos renais”.

 

Fonte: Dr. Marcelo Levites, médico especialista em longevidade e cuidados paliativos, diretor da Sobramfa Educação Médica & Humanismo – www.sobramfa.com.br

HELOÍSA HELENA PAIVA

Diretora de Redação

+55 11 98547-0170

www.presspagina.com.br

www.jornalpresspagina.info

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar