Economia

A Guerra Comercial China X EUA e como investir em 2019

Confira dicas de investimentos rentáveis com a Guerra Comercial

A calmaria durou pouco. A taxa básica de juros (Selic) caiu, a bolsa estava em alta, o real estava se valorizando em relação ao dólar e, de repente, estouraram novas notícias sobre a guerra comercial entre os Estados Unidos X China. É nessa hora que você pensa o que fazer para proteger seu dinheiro!

Em primeiro lugar, é importante entender o que é a tal guerra comercial Estados Unidos x China. A China é o maior exportador do mundo e os Estados Unidos são o maior mercado para os produtos chineses. Logo que assumiu a presidência dos EUA, Donald Trump anunciou o aumento de tarifas (impostos) para produtos chineses. Em troca, o país asiático também aumentou as taxas de importação para produtos americanos e ainda promoveu uma desvalorização de sua moeda, o Yuan, tornando os produtos chineses ainda mais competitivos em todo o mundo.

Diante deste cenário, como investir em 2019?

De acordo com Marcos Alexandre Lyra, Gestor da Daycoval Investimentos, a tensão entre as duas maiores economias do mundo tem gerado grande volatilidade no mercado financeiro. “Uma das melhores formas de proteger os investimentos em um momento assim, além de diversificar, é aplicar em ações ou fundos de ações com baixa liquidez”, explica. O motivo é que essas ações tendem a sofrer menos os efeitos da volatilidade do mercado nacional e internacional em um momento como o atual, da guerra comercial China X EUA.

Neste cenário de instabilidade e alta volatilidade internacional, o Brasil consegue ter notícias positivas, o que tem ajudado a diminuir um pouco a tensão no mercado de capitais doméstico. A principal boa notícia é a Reforma da Previdência, que já foi aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados e agora vai para o Senado. A reforma é importante para que o País volte a ter equilíbrio fiscal, o que permitirá que as empresas invistam, gerem empregos e que a economia volte a crescer.

Lyra lembra que ainda há duas boas notícias no horizonte para a economia brasileira que também impactam a forma como você deve investir em 2019: a reforma tributária, que será anunciada em breve pela equipe econômica, e a queda da taxa básica de juros (Selic).

Veja três sugestões de como investir em 2019:

Fundos com exposição a juros reais: se as reformas forem todas aprovadas, a tendência é que a taxa básica de juros, a Selic, continue a cair. Mas a taxa real da economia brasileira deve continuar entre as maiores do mundo. A taxa real de juros é a diferença entre a rentabilidade do seu investimento e a inflação, ou seja, o que efetivamente você ganhou com a aplicação financeira. Então fique atento aos fundos de renda fixa, que são conservadores, mas ainda podem compensar.

Fundos com exposição a ações: já falamos aqui que, com a Reforma da Previdência quase sendo finalizada e com a redução da taxa básica de juros, a Selic, o cenário econômico está mais otimista. Então é hora de olhar com cuidado o mercado de ações. Você tem medo de escolher sozinho as ações em que quer investir diante do cenário desafiador da guerra comercial China X EUA? Para isso existem os fundos de ações.

Fundos Multimercados: esses fundos têm gestão bastante ativa e mesclam várias modalidades de ativos, como juros, ações e ativos cambiais. Ou seja: em momentos de grande volatilidade, as equipes de gestão conseguem criar estratégias para aumentar a rentabilidade. Os multimercados são ideais para quem busca diversificar o portfólio, pois possibilitam que obtenha um melhor retorno em períodos com maiores oscilações, como o atual, da guerra comercial China X EUA.

Cláudia Rozembrá
Coordenadora de Comunicação Corporativa
claudiarozembra@pressaporter.com.br 
(11) 3813-1344 Ramal 37

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo