ComunicaçãoIndústria

Além do uso de EPIs: Como as Empresas podem investir em segurança do trabalho

Os Equipamentos de Proteção Individual, chamados EPIs, são essenciais, mas a Segurança do Trabalho deve incluir outras medidas

Os números vêm crescendo nos últimos anos. De acordo com relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), incidentes relacionados ao ofício representam  cerca de cinco mil mortes de trabalhadores por dia em todo o mundo. Este índice alarmante, no entanto, apenas reitera a importância das empresas implementar em medidas que garantem a manutenção da vida e saúde de todos os funcionários. 

Independente de qual setor atua, seja indústria, centro logístico ou construção civil, as empresas devem direcionar os esforços para a eliminação das intercorrências e, paralelamente, ter em mente que o efeito será em cadeia, criando um ambiente de trabalho mais organizado, com aumento da produtividade e maior qualidade. Mas, diferentemente do que se imagina, investir em segurança dos colaboradores não significa apostar exclusivamente nos ‘Equipamentos de Proteção Individual’, os EPIs.

“Se uma empresa investe em portas automáticas de qualidade, ela diminui o número de manutenções e consegue prevenir acidentes. As portas rápidas da Rayflex, por exemplo, são inofensivas aos usuários, pois possuem a lona totalmente flexível, sem barras metálicas, eliminando riscos de acidentes durante o fechamento”, explica a diretora executiva, Giordânia R. Tavares. “Isso as torna totalmente seguras para colaboradores e materiais da companhia”, finaliza.

Líder no mercado nacional de portas rápidas e automáticas, a empresa tem como um dos seus objetivos garantir a segurança dos clientes. “Nossas portas também oferecem sistemas diferenciados de vedação em todas as extremidades, impedindo a entrada de insetos, sujeira e chuva, evitando riscos de contaminação do produto.  E mais: a Rayflex oferece modelos que não necessitam de manutenção em caso de colisões de empilhadeiras, pois possuem funcionamento autorreparável”, afirma Giordânia.

Que os EPIs são necessários, ninguém duvida ou tampouco questiona, mas se alguém ainda tem dúvidas de que vale a pena investir em portas e equipamentos de segurança, é preciso pensar e comparar a relação entre os gastos evitados versus o valor do investimento, tais como perda na produção por funcionário afastado, contratação de mão de obra temporária, prejuízos materiais, indenizações e ações na justiça. Colocando na ponta do lápis, a segurança dos colaboradores é mais do que fundamental para o sucesso de uma empresa.  

Sobre a Rayflex

Criada em 1988, a Rayflex Industrial é líder do mercado nacional de portas industriais com fabricação nacional, atuante em todos os estados do Brasil e em alguns países da América Latina nas indústrias alimentícias,farmacêuticas, automobilísticas, metalúrgicas, além de armazéns e centros de distribuição independentes (logística), especializada em porta rápidas, portas para docas e niveladores de docas, desenvolvidos especialmente para isolamento e proteção dos mais variados ambientes industriais.  Para mais informações: www.rayflex.com.br

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar