Arte e Lazer

Idosos e Jovens revolucionários, são sábios

Tenho visto que os jovens se sentem, ou se acham, inovadores. Realmente estes têm a verve. Tenho visto idosos conservadores, estes mantêm o padrão.

E tenho visto, um grupo mago, de idosos que estão à frente do seu tempo, compreensivos, silenciosos, observadores e que respeitam em gênero, número e grau a todos, a tudo, pois, sabem que vivenciaram muitas épocas, momentos, inovações e ninguém lhes tira isso.

Também tenho visto jovens que leem e agem com sabedoria e respeito, inovando realmente em suas ações.

Idosos Revolucionários – Os sábios
Eternizado o final da abertura do texto.
Os idosos revolucionários que respeitam os jovens, escutam, observam e eternizam os novos passos da sociedade, não são só idosos, são sábios.
Eles sabem digerir todos os passos dados por uma sociedade com uma capacidade ímpar de perceber todos os momentos.
Sabem que atuaram no seu tempo, mas, estão sempre em busca do dinamismo. Suas ações são dinâmicas e não estáticas.
Estes são únicos e se diferenciam dos que envelheceram e acham que os padrões da sua época é que são os corretos.
Várias virtudes destacam este grupo e jovens revolucionários, inovadores, sábios, percebem como ninguém o idoso deste grupo e rompem com os idosos conservadores.

Jovens Revolucionários – Os sábios
Geralmente, este grupo, dos jovens revolucionários, dos sábios jovens revolucionários, escutam os sábios do passado, lêem sobre conceitos e modificações que a sociedade sofreu e implementam ao longo do tempo, com ações, as mudanças, contemporaneidades e revolução.
Eles inovam, realmente, sem serem guiados por uma pseudo contemporaneidade, que nada mais é, do que radicalidade.
Jovens revolucionários, não são radicais, são inteligentes e realmente mudam conceitos.
Jovens revolucionários são um mar de sabedoria.

Idosos revolucionários – São poucos
A maioria dos idosos se torna depressiva e rabugenta. Ou são exageradamente alegres.
Os sábios não, são equilibrados e inovam em cada momento do dia, orientando o jovem quando este permite e respeitando-o quando nota radicalidade nele.
Mudar um radical é muito difícil.
O radical é o bobo da corte, imutável, que se acha e não é nada. Isso vale tanto para jovens como idosos.
Parto deste texto, deixo minha reflexão, com a certeza de que tenho muito a aprender, a ensinar, a vivenciar, viver e revolucionar.
E parto sabendo que nunca, em hipótese nenhuma, serei o senhor da razão.

Anand Rao
Editor do Cultura Alternativa
https://culturaalternativa.com.br/

Anand Rao
Empresa: ANAND RAO ADUSUMILLI
Contato: Anand Rao – Editor do Cultura Alternativa
E-mail: anandrao@culturaalternativa.com.br – Fone (61) 982027100

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo