AgronegócioComunicação

Pesquisador da Secretaria de Agricultura recebe Prêmio Excelência ASBRAM por suas contribuições à cadeia de gado de corte

Flávio Dutra de Resende é coordenador do projeto que resultou na criação do conceito do Boi 7.7.7, adotado em todo o Brasil

O pesquisador da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Flávio Dutra de Resende, recebeu o Prêmio Excelência ASBRAM 2019, concedido pela Associação Brasileira das Indústrias de Suplementos Minerais, durante o 11º Simpósio ASBRAM, que ocorre em 21 e 22 de novembro, no Hotel Royal Palm Plaza, em Campinas, interior paulista. Resende, que atua como pesquisador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), foi escolhido, segundo a associação, por ser o profissional que mais contribuiu para a cadeia de gado de corte no biênio 2018-2019. A entrega da honraria ocorreem 21 de novembro, às 18h.

Segundo Elizabeth Chagas, vice-presidente executiva da ASBRAM, a escolha do premiado se deu por indicação das 79 empresas de nutrição animal associadas à ASBRAM. Hoje, 70% das empresas do setor no Brasil fazem parte da associação. “Executivos destas empresas indicam espontaneamente os profissionais que poderiam receber o prêmio. Os dois mais indicados são eleitos finalistas e uma nova votação entre os associados é aberta. Tivemos dois excelentes indicados em 2019, Flávio Dutra de Resende, e Celso Boin, dois profissionais muito representativos do setor de proteína animal. Estamos orgulhosos de conceder este prêmio ao Flávio Dutra de Resende e estendemos esta homenagem a todos da APTA”, afirma.

“Receber este prêmio é motivo de muito orgulho para mim, principalmente, por saber que o setor de gado de corte reconhece a pesquisa da APTA. Esta premiação mostra que estamos no caminho certo, porque o que estamos gerando está sendo reconhecido pelo setor privado como de extrema importância para a cadeia de produção de gado de corte. Agradeço a ASBRAM em nome do presidente da Instituição, Ademar Leal“, comemora Resende.

O trabalho científico desenvolvido por Resende e sua equipe, em Colina, interior paulista, tem sido adotado em todo o Brasil. É de responsabilidade de sua equipe a criação do sistema de Boi 7.7.7, conceito de produção que tem revolucionado a pecuária nacional e tem sido adotado em São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, Paraná e Rondônia.

O Boi 7.7.7 preconiza a produção de um gado de 21 arrobas em até dois anos, quando normalmente o pecuarista brasileiro leva três anos para produzir um gado de 18 arrobas. O sistema tem como meta que o animal alcance sete arrobas na desmama, sete na recria e outras sete na engorda, daí deriva o nome da tecnologia. Esta meta é alcançada com o uso de nutrição animal de forma estratégica, permitindo que o produtor consiga até 30% mais de lucro. “O Boi 7.7.7 requer estratégia. Temos trabalhado para que o produtor rural entenda que o uso de nutrição animal e de tecnologia é fundamental para que ele tenha mais renda e lucratividade. Mostramos que a fazenda deve ser encarada como empresa e que o produtor precisa saber os custos de todas as fases de produção, para fazer boas escolhas”, explica o pesquisador da APTA.

A tecnologia é estudada na APTA por uma equipe de pesquisadores e pós-graduandos e transferida para o setor produtivo por meio de palestras, eventos e treinamentos. Exemplo claro é o evento BeefDay que leva para o pequeno município de Colina mais de 2.500 pecuaristas de todo o País e até mesmo do exterior para conhecer a cada dois anos as tecnologias e novidades desenvolvidas pela APTA.

“Temos a preocupação constante de transferir para o setor de produção aquilo que geramos em nossas pesquisas. Não adianta sermos apenas geradores de conhecimento se isso não chega à parte interessada, que é o produtor rural. O pecuarista precisa de informações claras e objetivas para que possa se sentir mais confiante e adotar aquilo que desenvolvemos“, afirma.

Flávio Dutra de Resende possui graduação em zootecnia pela Universidade Federal de Viçosa (1990), mestrado em zootecnia pela Universidade Federal de Viçosa (1993) e doutorado em zootecnia pela mesma instituição (1998). É pesquisador científico da APTA e professor credenciado da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinária da Unesp, campus Jaboticabal. Atua como revisor científico de diversos periódicos no Brasil e no exterior e tem experiência na área de zootecnia, com ênfase em avaliação de alimentos para animais, atuando principalmente nas áreas de bovino de corte, desempenho animal, avaliação de carcaça e qualidade de carne. Resende já publicou 80 artigos científicos em periódicos especializados e 177 trabalhos em anais de congresso. Elaborou 19 capítulos de livros e recebeu três prêmios e/ou homenagens. Em 2017 foi escolhido pela publicação Dinheiro Rural como uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio brasileiro.
Assessoria de Imprensa – APTA
1921378933

 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar